Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Devaneios Menstruados

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

O preço certo... a pagar! Aka Gordices!

Os meus pais têm um ritual todos os dias da semana. É o momento que eu apelido de "gordices". Ontem estiveram cá em casa e assisti, de forma animada, à explicação do fenómeno do "gordo".

A minha mãe, irada, demonstrou o quanto o programa "Preço Certo" representa um castigo diário há já alguns anos. É como que um castigo que a acompanha e a atormenta (soa a exagero mas pelo que vi hoje é real. Bem real!).

Ela assiste diariamente ao seu martírio após o meu pai lhe "ter cortado o visionamento do Lancelot para ver aquilo!", onde, segundo ela, alguns concorrentes são "tão irritantes que pedem licença a uma palavra para dizer a outra". E aquelas pessoas que "descem as escadas com saquinhos e que mandam beijinhos à família e amigos mas dizem os nomes de todos um a um" que a irritam! E o comando... Na mão do meu pai! 

A verdade é que a minha mãe, do alto do seu metro e meio, estava deveras revoltada pelos anos de vida que tem perdido a ver o "gordo" e a roda que "muitos nem sequer sabem onde têm de agarrar para pôr a girar!". Mas o melhor ainda estava para vir... 

O meu pai, acérrimo defensor do "Preço Certo", diz que a minha mãe não percebe os "trocadalhos do carilho" e defende o programa do qual não perde uma emissão. Segundo o meu pai, a minha mãe não aceita as pessoas (do concurso, claro!) e isso irrita-a. "Eu aceito as pessoas como elas são" afirma ele sentado no meu sofá (sorte a dele de ser sábado porque aqui não há "gordo" nem "Preço Certo" por vários motivos mas posso começar pelo facto de não termos televisão).

Mas continuando...

Após a magnífica frase "Eu aceito as pessoas como elas são", já só imagino o meu pai e o Gustavo Santos a escreverem um livrinho de auto ajuda com frases como: "semeie o bem, aceite o próximo e acerte o preço". 

O meu pai acredita mesmo que "o programa ajuda na divulgação dos produtos regionais e ajuda as pessoas a compreenderem muita coisa". E eu concordo... Ajuda-me a compreender o que não quero ver!  E segundo a minha mãe ajuda-a a aumentar os níveis de stress antes do telejornal!

Ontem ajudou-me a dar umas boas gargalhadas quando esta bela conversa surgiu e as impagáveis expressões da minha mãe começaram a aparecer como flores a brotar na Primavera (o meu momento poético! Influências do Gustavo Santos).

Mãe a sério... Fica a dica... Este é o teu preço a pagar! Cortarem-te o Lancelot para veres o "gordo"!

Adoro-vos "velhotes" e obrigada pela tarde de ontem com belas gargalhadas!

 

Amizade sincera! Assim sim!

Sabes que estás perante duas verdadeiras amigas quando assistes a isto:

- Miga hoje vou arranjar estas unhas que já estão uma miséria...

Ao que a amiga (super arranjada, maquilhada e espampanante) responde bem alto:

- Aproveita e tira o bigode! 

 

Realmente amiga que é amiga avisa-nos quando as  pilosidades dão nas vistas!

 

P.s.: Já pedi isto vezes sem conta às minhas amigas e colegas de trabalho.  

Conclusão olhando para o meu buço: não posso contar com ninguém!