Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Devaneios Menstruados

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

Puto força aí!

Voltei! Finalmente! 

 

Após um mês sem um único post nos Devaneios (a isto se chama procrastinar ao mais alto nível), volto com novas aventuras. A que escrevo hoje passou-se há alguns dias atrás na minha viagem diária de comboio.

Entram dois adolescentes no comboio, não tinham mais de 15/16 anos, e trocam uns olhares bem interessantes.

Ele, rechonchudo e de faces rosadinhas, com óculos de massa preta e cheio de estilo senta-se à minha frente. Ela, de origem que me pareceu indiana, de cabelos longos e negros e bem morena, senta-se ao meu lado.

Existe ali um clima (pelo menos parece). Ela só fala inglês e ele vai falando com ela sempre a fugir com o olhar e cada vez mais rosadinho. Aqui vai a conversa traduzida porque se torna mais fácil:

- Obrigada pela companhia e por me estares a ajudar - Diz-lhe ela de sorriso no rosto.

Ele rosadinho e de sorriso escondido responde - De nada.

A conversa mantém-se desinteressante mas cheia de palpitações tão visíveis no olhar do adolescente em ânsias e cheio de esperanças. Até que ela lhe pergunta:

- Olha, onde é que mora o teu melhor amigo? 

Todos nós sabemos o que isto quer dizer...

Ele nem quer acreditar, perde o sorriso e num ápice responde:

- Não sei! - E coloca os phones nos ouvidos e passa de encantamento a desprezo em menos de 2 segundos!

E eu ali em frente a ele sinto vontade de gritar! Mas o que é que se passa contigo miúda? Eu já fui a rechonchuda na adolescência e sei bem o que aquele rapaz estava a sentir. E por incrível que pareça ela não desiste. Dá-lhe um toque no braço e ele tira os phones. Ela incrédula pergunta-lhe:

- COMO É QUE NÃO SABES onde vive o teu melhor amigo?

O puto nem queria acreditar e volta a dizer-lhe que não sabe, coloca os phones e ignora-a o resto da viagem. Ela volta a tocar-lhe no braço para se despedir e ele responde com um grunho que mais não queria dizer que "põe-te a andar".

Puto força aí! Estou contigo! Não desistas! Um dia alguém irá perguntar onde é que tu moras! Das duas uma: ou para ser stalker e não te dar descanso ou porque fizeste das tuas e alguém te quer fazer a folha!

 

O mais cómico disto tudo? Finalmente encontrei a explicação para uma cena que está numa parede perto da minha casa:

 

 

Puto força aí!.JPG