Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Devaneios Menstruados

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

Tudo o que aqui escrevo é real, por vezes um pouco exacerbado, outras vezes floreado. São os meus devaneios menstruados, as minhas histórias de vida, o emaranhado de cabos que forma a minha mente!

Uma shit de texto, dude!

Bazófia.jpg

 

A conversa entre dois portugueses, na casa dos vinte anos, sentados ao meu lado numa esplanada, passou por livros - versões inglesas e crítica às respetivas traduções para português - jogos de pancadaria e aventura e algumas referências a séries de televisão. Até aí tudo corria minimamente bem.

Para tudo o que aconteceu a seguir terei de vos enquadrar os personagens. A primeira personagem, que tomei a liberdade de intitular de o Cromo Mestre, primou pela complexidade infinita do discurso assim como a estupidez elevada ao expoente máximo da cagança. A segunda personagem, o Seguidor Envergonhado, é o típico jovem que tenta acompanhar tamanha parvoíce mas que se sente verdadeiramente envergonhado pela posição que ocupa. Deixo-vos com alguns excertos da conversa.

Seguidor Envergonhado:

─ Está difícil comprar livros. Estão caros. Apetece-me bué aproveitar uma sale. (traduzindo para uma versão jovem - está sem guito e vai sacar livros à net).

Cromo Mestre:

─ Tens de encomendar pela net. Mas cuidado com os payments em adiantado que por vezes as encomendas não chegam cá. Vais ver e dá que já estão em shipping e é mentira. Prefiro as english versions que algumas traduções cá são shitty.

(traduzindo mais uma vez – Manda vir pela net que existem algumas probabilidades de ficares a arder com a guita mas sempre é melhor que a merda de traduções portuguesas).

O Seguidor Envergonhado rapidamente continuou a expressar a sua angústia literária num misto de português e Zézé Camarinha:

─ Ando a ler tantos livros que oh my

God é too much (Isto assim soa a uma mistura de Zézé com José Castelo Branco mas basicamente é apenas um “credo não tenho arcaboiço para tanta leitura!”).

No desenrolar da conversa surgem os jogos de computador e a coisa anima mais um bocadinho.

─ Não compres o jogo X (vai-se lá perceber o nome mas gostava de ter percebido) que tas só a fazer combos and shit e a porrada é só tipo you can smash them sem aventura nenhuma. Eu joguei e tava a apanhar bué na boca and shit e um amigo disse-me: dude tem calma que ainda partes o comando.

(O jogo é uma seca de porrada sem parar e como costumo perder considero o jogo uma merda).

Nisto o Seguidor Envergonhado já estava com um rubor nas bochechinhas que revelava o seu incómodo com a conversa tida com um tom de voz audível até uns metros de distância e decide intervir:

─ Tamos a ter uma shit talk! (sem dúvida – pensei eu – que bela conversa de merda).

─ Caguei! – respondeu o Cromo Mestre com um tom de desprezo.

Continuou a falar sobre jogos e como alguns jogadores usam lame ass excuses mas whatever, whatever… (tradução do raciocínio – alguns jogadores são uns meninos que arranjam desculpas mas que se f*dam).

Foram uma amazing companhia durante ten ou quinze minutos. Levantei-me e eles continuaram a sua shitty talk.

 

 

2 comentários

Comentar post